Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Cotidiano’ Category

Engolindo sapos

Engolir sapos pela vida afora é uma coisa muito comum para a maioria das pessoas.

Engolimos dos pequenos aos grandes sapos e todos, de uma forma ou de outra, descem e fica por isso mesmo.

Todo mundo cria seus sapos.

Hospitais, restaurantes, bancos (um dos maiores criadores), seguradoras, escolas, operadoras de cartão de crédito, empresas de transporte, igrejas, supermercados, táxis, empresas de telefonia, lojas, empresas em geral, governo (o maior criador; cria também elefantes e rinocerontes), amigos, família, etc.

sapos-amor-sociedade
Engolindo sapos-imagem-google:limonadabrasileira.blogspot.com
 
O amor é outro grande criador de sapos.

Pode não ser o maior criador, mas é o mais habituado em fazer com que as pessoas engulam seus sapos.

Tem gente que se engasga, esperneia, chia, chora, se esconde, some, mas, do nada, estão de volta com outro sapão esperneando na boca.

Engolem e ficam macios como seda.

O último sapo que engoli?

Só pra variar, foi do amor.

A última companheira que tive me disse na lata:

Você?, você não tem futuro como homem!

O sapão desceu rasgando, lágrimas nos olhos, e a criadora de sapos…

Nem aí!

Não é uma merda?

Anúncios

Read Full Post »

Justificando ausência

Caros leitores, como membro do blog, venho aqui, antes de mais nada, me desculpar com vocês que gostam (ou não) do nosso trabalho, pela nossa ausência nos últimos meses.
Acontece o que acontece com todo cidadão (se realmente tal existe) nesse país que precisa estudar, trabalhar e dar conta de ir um pouco além com vistas a galgar melhores condições de (sobre)viver nessa triturante máquina competitiva que se tornou o nosso Brasil capitalista: falta de tempo. E como não somos adeptos a levar as coisas, no dizer popular, empurrando com a barriga, a falta de escolha nos obriga a ficarmos ausentes nesses momentos.

Mas queremos deixar claro que o blog não acabou, tão pouco tal ideia está pairando em nossas mentes. O quanto antes – assim desejamos – estaremos de volta trazendo nossas ideias, impressões, reflexões, apontamentos, sentimentos e tudo que aqui cabe sobre tudo o que aqui couber.

Abraços à todos e, mais uma vez, nosso sincero pedido de desculpas.

Read Full Post »

Uma ligeira dúvida

Verdade seja dita!
Estou aqui, às 22:29, com a alma na mão.
Se você tem filhos também está, às 22:29, com a alma na mão.
Quantos filhos seus estão na rua nesse momento?
Você sabe onde cada um está?
Estão seguros?
São responsáveis?
Vão chegar inteiros em casa?
Vão chegar vivos em casa?
Um inferno, não é?
Retrato vivo do Brasil.
Pobre de nós, a população!
Sempre na mira das possibilidades.
E com um detalhe: ser bom não é suficiente.
A violência não escolhe perfis.
Simplesmente atua sobre o rico, o médio e o pobre.
Mais sobre o pobre, é obvio!
Mas é inevitável!
Não importa quem somos.
Vamos engolindo nossos medos.
Em silêncio!
Como se nada disso fizesse parte de nossas vidas.
Do nosso dia a dia.
Da nossa agonia.
Ledo engano!
Estou aqui, às 22:35, pensando em meus filhos que estão na rua.
E você?
No que pensa?
Ao longe, gritos, tiros… sirenes.
Viro-me na rede, sinto uma angústia no peito… e estremeço.
Logo eles chegarão, é o que o meu coração pensa.
E implora!
Com uma ligeira dúvida.
E você?

Read Full Post »

Estava pensando seriamente em parar de publicar aqui no Sagaz.

Sabe, estes assuntos de trabalho demais, preocupação demais, horário, qualidade, conteúdo… responsabilidade.

Estava pensando em montar um Disk Pizza.

Pensei: é moleza!

Comprar uns troços, jogar os troços em cima do disco de pizza, levar ao forno e ir pro abraço.

Refleti, repensei, ponderei, pesquisei… e me assustei.

Olhe só:

Tinha, numa sentada só, de me transformar em empresário, gerente, administrador, economista, gestor de recursos humanos, cozinheiro, pizzaiolo, comprador, peniqueiro, vendedor, contador, patrão… e empregado de um monte de empresas.

Acompanhar o preço da farinha; qualidade da mussarela; origem do presunto; fornecedor de tomate, cebola, palmito, atum, manjericão, calabresa, bacalhau, um monte de queijos, ovo, pimentão, fermento, azeite, orégano…

Me virar com as despesas com aluguel, energia elétrica, água, gás, telefone, material de limpeza, papel higiênico, manutenção, impostos para o governo, encargos trabalhistas, contador… propina para os fiscais do governo.

Socorro!

Deus me livre!

Não nasci para os negócios!

Não nasci para ser parte da engrenagem maluca da economia do sistema capitalista.

Vou continuar sendo blogueiro.

Que é a única coisa que eu sei fazer.

1/2 que torto.

Mas pelo menos não tenho patrão nem sou patrão de ninguém.

Graças a Deus!

E, ademais, eu morro de medo de trabalhar.

Chega a me dar coceira.

Eu, hem!

Read Full Post »

males-da-modernidadeCaminhar 40 minutos por dia é bom pra saúde.
Não comer picanha gordurosa é o canal.
Comer muita verdura é fundamental.
Não fumar é o que se espera do homem moderno.
Fuder… só com camisinha, ou depois do casamento.
Dormir cedo é bom pra pele.
Academia é uma necessidade do homem/mulher atual.
É impossível viver sem internet.
Sexo é bom pro coração.
Vitamina xy retarda a velhice.
Botox te deixa jovem.
Ser vegetariano é o ‘tchã’.
Fique esperta com o seu namorado.
Mulher tá na crista da onda.
Os tempos mudaram, amar a gente aprende na banca de revistas.
Pratique esportes, a inteligência agradece.
Bebida alcoólica, só pra doidos.
Seja feliz, aprenda a entender o seu chefe.
Cirurgia plástica, o canal da felicidade da mulher dos tempos atuais.
Homens e carros, uma receita feliz.
O importante é o trabalho.
Homossexualidade: assuma, hoje é chique.
Chocolate, só se for escondido dos amigos.
Apartamento em 30 anos, o sonho se realiza.
Uma viagem para New York, você vai amar!
Um Honda, ai meu Deus!
Caralho!
Vida maneira a dos tempos de hoje.
Tudo pronto!
Tudo certinho!
Os ‘home’ tão com tudo.
Só depende de mim.
O sucesso dos caras só depende da minha estupidez.
O resto, segundo a Globo, “a gente se vê por aí”.
E vamos deixar de ser gente pra ficar ‘chatissimamente corretos’.
Que é o próximo passo da educação de massa…
E a destruição da sensibilidade da raça humana.
E aí, você ainda toma uma cervejinha sem remorsos?
Ou consulta algum manual?

Read Full Post »

Para Karl Marx, grande crítico do sistema capitalista, o trabalho não era algo a ser abolido, sendo um problema maior a exploração em si. Para o autor, a atividade do trabalho é uma condição da existência humana, independente de qual seja a fórmula da sociedade, sendo a mesma uma necessidade entre o homem e a natureza. Hannah Arendt também defende uma postura semelhante, dividindo a condição humana entre ação, labor e trabalho.

Porém, atualmente, no capitalismo o trabalho tem adquirido proporções esquizofrênicas, invadindo o âmbito do lazer e do consumo.

Horário de trabalho
O momento de folga para muitos, não representa necessariamente o de lazer. O ócio vai ficando para trás. Mesmo quando não se está no trabalho, os consumidores passam a maior parte do seu tempo em atividades domésticas.

Muitas vezes trabalhando de ‘graça’ para determinadas empresas, o consumidor reserva suas passagens, vai ao supermercado, enche seu carrinho, enfrenta enormes filas, instala seus próprios programas no computador ou conserta algum objeto danificado.

Mas essas funções são tidas como uma opção do trabalhador. É lógico que essas horas extras não são pagas diariamente, mas pelo menos se economiza o salário. O melhor de tudo é que os trabalhos nas horas vagas não tem perigo de levar ao desemprego A princípio tudo isso gera um mal-estar para o consumidor-trabalhador; mas logo suas tarefas passam a ser considerado um ato-heroico e de livre escolha.

Enquanto uma automação dos serviços prestados ao consumidor não se torna eficiente, resta a ele ser atendido por um serviço obsoleto, como é o caso de muitos telemarketings que após uma longa e tediosa espera o saúda com um “obrigado por sua preferência”.

Inevitavelmente, dentro desse sistema de panes, o consumidor se torna cada vez mais trabalhador, afastando-se das suas horas de descanso, sendo empurrado e obrigado a fazer diversas atividades por conta própria, adquirindo assim, o lazer de trabalhar.

Read Full Post »

O espelho da alma

– Estive pensando: o que seria de nós se não existisse o espelho?

– O espelho não serve só para pentearmos os cabelos, escovarmos os dentes e fazermos a barba, entre outras coisas.

– É, também, a nossa consciência.

espelho-da-alma
espelho-infiel

– Humor, dor, perspectiva, preocupação, tristeza, choro, riso, euforia, decepção, raiva, ira, alegria: está tudo lá.

– No espelho podemos chamar a nossa atenção. Podemos nos punir. Podemos ter uma conversa franca com a gente mesmo. É o único momento que ficamos cara a cara com esse ser complexo e único: o nós!

– O espelho é, além de tudo, o nosso crítico mais feroz.

– Quantas vezes você cometeu algum ato infame e depois ficou morrendo de vergonha na frente do espelho?

– Quantas vezes você mostrou língua para você mesmo?

– E o dedo?

– Vai me dizer que você nunca se chamou de babaca na frente do espelho?

– Nunca dançou pelado e riu de você mesmo?

– Nunca ficou com a cara lambida?

– E a autocrítica: Tô gordo! Tô velho! Tô feio! Tô acabado!

– O espelho expõe a nossa vaidade.

– Perdemos horas e horas na frente do espelho corrigindo as nossas imagens distorcidas.

– O espelho, redundantemente, é o reflexo de nós mesmos.
– O espelho acompanha o nosso envelhecimento, é um diário das mudanças dos nossos rostos.

– É muito paciente, nos envelhece devagar e sem sustos.

– Reflete, dia após dia, como se fosse um conta-gotas, as mudanças: uma ruga no rosto, hoje. Um cabelo branco, amanhã. Uma barba branca, depois de amanhã.

– O espelho é mágico.

– Em um só cabe a humanidade inteira e com uma verdade incontestável: ele não deixa resíduos dos rostos nele refletidos, o que o torna muito seguro para nele refletirmos, escondidos, a nossa solidão irrefletida.

Read Full Post »

Older Posts »

%d blogueiros gostam disto: